Sonae evita sistema fiscal português na OPA à PT

A Sonae vai recorrer a uma subsidiária holandesa para lançar a Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Portugal Telecom, com o objectivo de poupar 57,5 milhões de euros em despesas fiscais com a operação, segundo avança o Diário Económico.
O recurso à subsidiária holandesa é explicada por maior flexibilidade do regime fiscal daquele país. Só em imposto de selo sobre a garantia bancária do Santander, refere o artigo, a Sonae deverá poupar 57,5 milhões de euros, uma vez que naquele país «as empresas estão isentas do pagamento deste imposto, o que não acontece em Portugal».
Mas há outras vantagens, uma vez que na Holanda «a isenção no pagamento de impostos estende-se às mais-valias, aos dividendos e à retenção na fonte dos juros bancários», nota o artigo.

    Outros Artigos Relacionados:


No Comments! Be The First!

Leave a Reply